IMPRESSIONTANTE!!! As Chagas de Jesus segundo um cirurgião.

IMPRESSIONTANTE!!! As Chagas de Jesus segundo um cirurgião.

Existe um artigo científico sobre a morte de Jesus, publicado em 1986 em uma das revistas científicas mais prestigiadas do mundo – o JAMA, The Journal of the American Medical Association.
O artigo é intitulado ′′On the Physical Death of Jesus Christ′′ (Sobre a morte física de Jesus Cristo).
Nele os autores mostram que o processo de chicoteamento romano era terrivelmente cruel. Descrevem-se detalhes técnicos, que juntamente com a narrativa bíblica, proporcionam um panorama completo de todo esse processo, desde o julgamento até a morte na cruz.

Antes do julgamento, narra-se em Lucas 22 que Jesus estava em profunda angústia e suou sangue. Apesar de ser um fenômeno raro, os médicos reconhecem essa característica como hematidrose, que pode ocorrer devido a altos níveis de estresse.
Após ser julgado, Jesus foi violentamente chicoteado com um chicote de couro, com pequenas bolinhas de ferro nas pontas e ossos pontiagudos. As bolas de ferro causavam lesões internas e os ossos rasgavam a carne, expondo a musculatura esquelética e causando grande perda de sangue, o que provavelmente o deixou em um estado de pré-choque.

Depois de severa flagelação, Jesus foi escarnecido, cuspido e forçado a carregar sua própria cruz até o Gólgota.
Durante a crucificação, o réu era jogado sobre a cruz no chão, e pregado com pregos de até 18 cm de comprimento nos pulsos e pés.

A crucificação era um processo que produzia dor intensa e causava uma morte lenta e sufocante.
Respirar era extremamente doloroso. A cada respiração, Jesus tinha que levantar as costas em carne viva, arrastando-a na madeira e apoiando todo o peso nos pés, que estavam pregados. Fato que aumenta a perda de sangue e causa dor terrível.
As causas da morte por crucificação podem ser várias, mas as duas mais comuns eram choque hipovolêmico e asfixia por exaustão.

Quando o evangelho de João narra que depois da morte de Jesus um soldado o transpassou com a lança e saiu ′′ sangue e água “, a explicação dos cientistas é que a água provavelmente representava fluido pleural e pericárdio seroso e precedido do fluxo sanguíneo e teria menor volume do que sangue.

Talvez no cenário de hipovolemia e insuficiência cardíaca aguda, derrames pleurais e pericárdicos poderiam ter se desenvolvido e sido adicionados ao volume de água aparente.
Apenas analisando o sofrimento físico de Jesus, percebemos o quão terrível deve ter sido suportar tudo isso.
Estresse intenso, noite sem dormir, julgamento injusto, chicoteamento desumano, zombado e ainda ter que carregar seu próprio instrumento de morte.


Mas ainda MAIS!
O que ′′pesou ′′ em seus ombros foram os nossos pecados. Isaías profetizou:

“Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades;

o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisadas fomos curados. ”
|Isaías 53:5|

Ele foi o sacrifício. O cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
Só o Deus que se tornou homem poderia reconciliar os homens com Deus.
Por isso dizemos que o sacrifício foi por amor, pois Ele não tinha pecado, nós sim. Se o pecado gera a morte, quem deveria ter morrido éramos nós, não Ele.
Então, toda a sua podridão, todos os seus pensamentos e ações ruins, toda a sua revolta contra Deus… tudo isso estava sobre os ombros, Cristo.

E ele venceu não só o pecado, mas também a morte!
Quando você achar que sua vida é difícil demais, que nada funciona, olhe essa foto e lembre-se de tudo que Jesus passou por amor a você. O castigo que nos traz a paz estava sobre ELE.

 

Contemplar essa imagem precisa suscitar um nós um desejo ardente de amar Jesus Cristo e dar a Ele tudo que temos e somos.

Orar continuamente em desagravo de todos os pecados cometidos contra seu Corpo e Sangue na Santíssima Eucaristia e amar os outros filhos de Deus espalhados pelo mundo evangelizando, ajudando, sendo o amor que Ele nos ensinou.

 

Complemento: Giuliane Matos

Comentários

Deixe um comentário